Status Atual: Em Transição - O que fazer nesse período “entre trabalhos”?

3 Mar 2017

 

Estamos vivendo um tempo, de certa forma único no país, com o agravamento da crise e suas consequências, entre elas uma grande quantidade de pessoas desligadas e em busca de novos trabalhos. O período de transição estatisticamente aumentou, portanto pode-se viver meses pela frente buscando uma nova atividade, mas também o desafio de reorganizar a rotina e escolher o que fazer com o tempo e recursos disponíveis.

 

Talvez para muitos o primeiro mês após a saída de um trabalho seja o mais difícil, pois ele carrega várias questões:  emoções diversas, a recordação das últimas conversas na empresa, especialmente se foi uma saída difícil, o não pertencimento a uma estrutura, a sensação de vazio e a dúvida do que fazer com as horas, além de possível angústia e temor sobre o futuro. Para outros, sair do trabalho e ser desafiado a se rever e buscar algo novo pode, desde o início, trazer certo alívio e ânimo. É uma experiência muito pessoal e as reações, tempo de duração, sentimentos e forma de lidar com ela vão variar para cada pessoa.

 

Ainda assim, o período de transição para todos requer reflexões, percepção de si mesmo e ações práticas que podem facilitar esse momento de vida – a boa notícia é que ele também vai passar!

 

1. Identifique como você está se sentindo.

O conceito da Curva da Mudança, de Elisabeth Kubler-Ross, é bem interessante. Ela descreve as etapas pelas quais passamos quando nos deparamos com uma mudança importante e indesejada: os primeiros estágios são de Negação, Raiva, Medo, até que podem ir se transformando em Aceitação e caminhando para a fase de Reorganização. Refletir sobre seu momento pode ajudá-lo a se dar conta do que está sentindo e como está reagindo a essas emoções. Quem está numa fase de muita raiva da última organização, por exemplo, provavelmente transparecerá esse sentimento em um processo seletivo. Trabalhar estas questões, conversar com pessoas a respeito e se dar conta de que é transitório podem facilitar este momento. E se necessário, busque ajuda profissional.

 

2. Refaça sua rotina diária.

Verifique o que você inclui no seu dia – os temas importantes da sua vida estão considerados? Observe qual é o momento do dia em que você funciona melhor para a busca de um novo trabalho – isso pode incluir diversas atividades: revisão de suas informações, olhar mercado, se atualizar sobre seu segmento, organizar a agenda da semana para encontros e processos seletivos, buscar vagas, etc. Além disso, inclua outras atividades – estudos, leitura, aproveitar o tempo para buscar os filhos na escola, ir ao cinema, fazer um trabalho voluntário, entre outras coisas que em uma rotina convencional talvez você não conseguisse fazer. Ter equilíbrio entre o tempo de busca por um trabalho e outras atividades vai trazer novo ânimo, atualização e isso também é transmitido quando você se apresenta como um candidato.

 

3. Organize suas finanças.

Esse é um tema bastante temido, talvez a primeira coisa que passe na cabeça de quem sai do trabalho – como manter as contas em dia? É um ponto que deve ser visto desde o inicio – tenha controle de todas as despesas, avalie o que pode ser negociado e reduzido. É um exercício interessante de ser feito, pois exige uma revisão de nossos hábitos de consumo e combina bem com os tempos de sustentabilidade e economia colaborativa que estamos vivenciando.  Você pode encontrar até formas de ganhar um dinheiro extra prestando um serviço, ou mesmo trocar um trabalho que sabe fazer por um serviço que precise utilizar. O importante é ter controle sobre seu dinheiro, como o utiliza, de preferência sem dívidas, para passar por esta fase com menos sufoco.

 

4. Mantenha a mente aberta e uma atitude positiva.

O jeito de encarar este momento é crucial para a qualidade de vida que você terá e pode influenciar diretamente na maneira de encontrar uma nova atividade. Use este tempo para conhecer coisas novas, pessoas novas, mantenha-se aberto a observar propostas, segmentos, atividades diferentes das que está habituado ou da sua busca preferencial em uma recolocação profissional. Claro que você vai buscar trabalhos direcionados ao que mais deseja e aqui podemos chamá-lo de “Plano A”, mas mantenha-se aberto e reflita sobre o que poderia ser um “Plano B”.  Abrir a mente, manter uma atitude positiva, mesmo que algumas angústias surjam às vezes, e gerar movimentos o ajudarão nesta busca e trarão novas ideias e possibilidades.

 

Saiba aproveitar este momento transitório e tirar dele os melhores aprendizados possíveis, que com certeza poderão te ensinar muito a seu respeito e, quem sabe, você também poderá apoiar e ensinar outras pessoas na mesma situação! Vá em frente! Ele também vai passar!

Share on Facebook
Please reload

Arquivo
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Procurar por Tags
Siga
  • Facebook Basic Square