No que você é bom? Exercite e reconheça o que tem de mais precioso!


Essa pergunta parece simples, mas muitas vezes nos faz respirar, parar e pensar sobre qual será nossa resposta. Tendemos a olhar para o que nos falta, onde falhamos, ou aquilo que muitos chamam de “defeitos”. Somos feitos de luz e sombra, mas esse é um convite para um olhar mais profundo sobre o que temos de muito valioso – e todos nós temos.


A primeira provocação sobre isso é que tudo parte de um ponto de vista – geralmente o nosso. Dizer que sou bom ou não em algo é um juízo de valor que dou a algo. Acho que faço isso bem ou mal – é minha referência, baseada em experiências e opiniões. E se é apenas um ponto de vista, podemos concluir que podem haver vários outros possíveis para a mesma questão. E aí um leque de outras possibilidades pode estar escondido.


Nossos talentos se manifestam desde nossa infância. Mais do que somente pensar em competências profissionais, podemos ir muito além, olhando características e experiências que guardam potencialidades e habilidades que falam muito sobre nós e nos dão a oportunidade de estar à serviço e oferecê-las de diversas formas para quem as necessita.


Reserve um tempo e local tranquilos e faça um pequeno exercício de reflexão: respire por alguns minutos, aquiete sua mente e permita-se ficar em contato com você mesmo – apenas no presente. Deixe que suas mãos escrevam livremente – elas falarão por você.


- Quando criança, quais eram as coisas que mais gostava de fazer? (brincadeiras, atividades em casa, na escola com amigos, etc).

- O que você gosta de criar? (deixe seu coração falar – pode ser inventar uma nova receita, solucionar problemas, criar uma engenhoca em casa que resolve questões práticas, contar piadas, criar músicas, inventar brincadeiras para os filhos, etc.)

- Reflita sobre habilidades que você tem em sua casa, família, relacionamentos.

- Reflita sobre habilidades profissionais.

- Você é chamado para resolver que tipo de desafios?

- Quem pede sua ajuda, o faz para quais questões?

- O que você gosta de passar horas fazendo?


Este é um caminho simples para encontrar várias dicas sobre seus talentos. Você vai descobrir nessas respostas habilidades técnicas e do seu comportamento cotidiano. Talvez olhando pela primeira vez você pense que elas nem tem tanto valor assim, não oferecem nenhum diferencial. Vá mais a fundo e começará a reconhecer aquilo que você tem de melhor e como isso pode ajuda-lo e aos que estão ao seu redor. Ilumine suas habilidades e talentos – elas podem ser simples, mas muito especiais.


Somado a isso você também pode perguntar aos que estão perto de você e que o conhecem bem. As pessoas têm percepções interessantes e que nem sempre nos damos conta. E claro, lembre-se de que também são apenas novos pontos de vista, e não verdades absolutas. Acolha as respostas e veja onde isso te toca.


Na medida em que essas idéias, palavras, memórias vão aflorando, você poderá reconhecê-las e usá-las a seu favor. E também poderão ser grandes aliadas para o aprimoramento daquilo que você ainda precisa desenvolver. E se você juntar essas várias habilidades, no que isso pode se transformar?


Continue anotando, relembrando e fortaleça o que já está aí e é só seu! E use sem moderação!


Mariana Sartori

Coaching de vida e profissional | Orientação de Carreira | Apoio à recolocação

Curta em: https://www.facebook.com/marianasartoridesenvolvimentohumanointegrado/



Arquivo
Posts Recentes
Procurar por Tags
Siga
  • Facebook Basic Square